Discipulado sem Fronteiras - Curso Bíblico Grátis - Ensino Bíblico Gratuito

Índice da Apostila 3 - Ressurreição e Imortalidade

ÍNDICE DE ASSUNTOS POR TÓPICOS

APOSTILA 3 – RESSURREIÇÃO E IMORTALIDADE:

 

Olá, amado(a),

Visando facilitar o seu estudo e o fácil conhecimento acerca do material de teologia que apresentamos neste site, descrevemos o índice de assuntos desta Apostila 3 – Ressurreição e Imortalidade que objetiva dar a você uma visão geral de como adentrar no Reino de Deus, preparando-nos para o assunto da quarta apostila, que se refere aos princípios cristãos desse Reino. (faça download grátis deste material na seção apostilas.)

 

APOSTILA DE RESSURREIÇÃO E IMORTALIDADE:

 

AULA 0 - CARTA DE APRESENTAÇÃO;

 

AULA 1 – RESSURREIÇÃO: VITÓRIA FINAL SOBRE A MORTE, GERANDO EM CRISTO,A IMORTALIDADE EM PLENO GOZO DA SALVAÇÃO CELESTIAL:(Tópicos):

 

CONCEITOS GERAIS:

O QUE É RESSUSCITAR?

O QUE É RESSURREIÇÃO?

A IMPORTÂNCIA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS:

É O ALICERCE DA FÉ CRISTÃ

É O PONTO DECISIVO DA FÉ CRISTÃ

INCLUI O NOSSO CORPO E A NOSSA ALMA

NOSSA RESSURREIÇÃO

É CERTA POR CAUSA DA DE CRISTO

É A NOSSA ÚNICA ESPERANÇA PARA A VIDA ETERNA

O QUE A BIBLIA FALA SOBRE A MORTE E O POS-MORTE?

MORTE NO VELHO TESTAMENTO

MORTE NO NOVO TESTAMENTO

CARACTERÍSTICAS DA MORTE (ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS):

A Experiência descrita:

SIGNIFICADOS DA PALAVRA MORTE NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Morte – hebraico

SIGNIFICADO DA PALAVRA DORMIR COMO SENTIDO DE MORTE NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Dormem – hebraico

SIGNIFICADOS DA PALAVRA MORTE NO NOVO TESTAMENTO:

* Morte – Grego

SIGNIFICADO DA PALAVRA DORMIR COMO SENTIDO DE MORTE NO NOVO TESTAMENTO:

* Dormir(morte) - Grego

RELAÇAO ENTRE A MORTE E O ARREBATAMENTO:

ARREBATAR NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Arrebatar – hebráico

ARREBATAR NO NOVO TESTAMENTO:

* Arrebatar – grego

DIFERENCIANDO OS DOIS TIPOS DE ARREBATAMENTO:

- Arrebatamento de sentidos:

- Arrebatamento Físico (coletivo):

RELAÇAO ENTRE A MORTE E IMORTALIDADE:

Imortalidade e Incorrupção:

* Imortalidade - grego

* Incorrupção – grego

RELAÇAO ENTRE A MORTE E A VIDA ETERNA:

* Vida Eterna – hebráico

* Vida Eterna – grego

CARACTERÍSTICAS DA VIDA ETERNA:

O ESTADO INTERMEDIÁRIO ENTRE A MORTE E A RESSURREIÇAO:

DIFERENCIANDO JUSTOS E IMPIOS:

OS JUSTOS NO ANTIGO TESTAMENTO:

* justos – hebráico

OS JUSTOS NO NOVO TESTAMENTO:

* justos – grego

OS INJUSTOS NO ANTIGO TESTAMENTO:

* injustos – hebráico

OS INJUSTOS NO NOVO TESTAMENTO:

* injustos – grego

OS INJUSTOS TAMBEM SÃO CHAMADOS DE ÍMPIOS:

ÍMPIOS NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Ímpios – hebráico

MPIOS NO NOVO TESTAMENTO:

* Ímpios – grego

OPINIOES ERRADAS QUANTO AO ESTADO INTERMEDIÁRIO:

PURGATÓRIO:

POSIÇAO BIBLICA CONTRASTANDO COM ESSE PONTO DE VISTA:

INTERCESSAO MEDIUNICA:

* Médiuns – hebráico

SONO DA ALMA:

 

AULA 2 - MAIS ALGUMAS CONSIDERAÇOES SOBRE VIDA FUTURA, DESTINO DOS JUSTOS E IMPIOS E A PAROUSIA (PARTE 2):

 

DESTINO:

A VIDA FUTURA DAS ALMAS NO ANTIGO TESTAMENTO:

 Clama – hebraico

* Terra – hebraico

A VIDA FUTURA DAS ALMAS NO NOVO TESTAMENTO:

O DESTINO DOS IMPIOS:

OPINIÕES ERRADAS SOBRE O DESTINO DOS IMPIOS:

Universalismo:

Restauracionalismo:

Segundo período probatório:

Aniquilamento:

QUANTO A EXISTENCIA DO SEOL (INFERNO) E SUAS CARACTERÍSTICAS NO ANTIGO TESTAMENTO:

HINOM

MOLOQUE

SHEOL COMO HABITAÇÃO DOS IMPIOS:

Características do Inferno no Antigo Testamento:

OUTRAS CARACTERISTICAS DO INFERNO, DESCRITAS NO NOVO TESTAMENTO:

OUTRAS CONSIDERAÇÕES:

UMA OBSERVAÇAO NO NOVO TESTAMENTO SOBRE O SEOL:

QUANTO À ESPERANÇA DE REMISSÃO DO SEOL, DOS SANTOS DO ANTIGO TESTAMENTO:

SHEOL COMO HABITAÇÃO DOS JUSTOS:

Características:

O SIGNIFICADO DE MESSIAS

ESPERANÇA DE REMISSÃO DOS SANTOS DO ANTIGO TESTAMENTO E O SEU

ENTENDIMENTO NO NOVO TESTAMENTO:

O DESTINO DOS JUSTOS NO NOVO TESTAMENTO:

O CÉU – CONCEITOS:

NECESSIDADE DO CÉU:

BËNÇAOS DO CEU:

CARACTERÍSTICAS DOS CÉUS NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

OBSERVAÇÃO

QUANTO A EXISTENCIA DO CÉU OU CÉUS E SUAS CARACTERÍSTICAS NO ANTIGO

TESTAMENTO:

* Céu ou céus (AT) – hebráico

QUANTO A EXISTENCIA DO CÉU OU CÉUS E SUAS CARACTERÍSTICAS NO NOVO TESTAMENTO:

NOVOS CÉUS E NOVA TERRA:

* Céu ou céus (NT) – grego

TRÊS FASES DA CONDIÇAO DO CRISTAO PARTIR DA VIDA:

O MOTIVO DA CIDADE DESCER DOS CÉUS:

 

AULA 3 - CARACTERÍSTICAS DA TERRA

NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

 

CONCEITO DE TERRA NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Terra – hebráico

OBSERVAÇÃO: * Lançar por terra - hebráico

CONCEITO DE TERRA NO NOVO TESTAMENTO:

* Terra – grego

* Seguir por terra – andar a pé – grego

* Lançar por Terra

CARACTERÍSTICAS DA TERRA NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

O SIGNIFICADO DA VIDA HUMANA:

No dicionário

Na perspectiva bíblica

O DEUS VIVO

CRISTO COMO VIDA

CONCEITO DE VIDA NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Vida – hebráico

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

CONCEITO DE VIDA NO NOVO TESTAMENTO:

* Vida – grego

CARACTERÍSTICAS DA VIDA NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

OBSERVAÇÃO:

CONCEITO DE RESSURREIÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Ressurreição – hebráico

CONCEITO DE RESSURREIÇÃO NO NOVO TESTAMENTO:

* Ressurreição – grego

CARACTERÍSTICA DA RESSURREIÇÃO (ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS)

 

AULA 4 - RESSURREIÇÃO: REALIDADE ESPIRITUAL E MATERIAL E NÃO UMA UTOPIA (FANTASIA) MENTAL OU LOUCURA COMO ACHAVAM OS GREGOS E OS ROMANOS:

 

OBSERVAÇÃO:

A RESSURREIÇÃO É UM MISTÉRIO DE DEUS:

OS ROMANOS: CONCEITO NO NOVO TESTAMENTO:

* ROMANOS – grego

OS CRISTÃOS EM ROMA

A MITOLOGIA ROMANA E O FALSO CULTO DO MISTÉRIO:

A MITOLOGIA ROMANA: O FALSO CULTO DO MISTÉRIO – MITRAISMO:

O VERDADEIRO MISTÉRIO DO DEUS BÍBLICO – VERDADEIRO E ÚNICO:

O CONCEITO DE MISTÉRIO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Mistério – Aramaico

O CONCEITO DE MISTÉRIO NO NOVO TESTAMENTO:

* Mistério – Grego

CARACTERÍSTICAS DO MISTÉRIO DE DEUS:

 O MISTÉRIO DE DEUS, COMO ALGO OCULTO, ENCOBERTO, A SER DESVENDADO:

CONCEITO DE OCULTAÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Oculto - hebráico

CONCEITO DE OCULTAÇÃO NO NOVO TESTAMENTO:

* Oculto – grego

A REALIDADE DA OCULTAÇÃO (ENCOBRIMENTO DE FATOS) NA BÍBLIA:

CARACTERÍSTICAS DA OCULTAÇÃO (ENCOBRIR FATOS) NA BÍBLIA:

PRIMEIRO CASO DE RESSURREIÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO E SEU SIGNIFICADO POSTERIOR:

O PRIMEIRO CASO DE RESSURREIÇÃO NO NOVO TESTAMENTO E SEUS SIGNIFICADOS POSTERIORES:

 OS GREGOS QUE COMBATIAM A IDÉIA DE RESSURREIÇÃO:

CONCEITOS DE GREGOS NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Grego – hebráico

OS GREGOS – CONCEITOS NO NOVO TESTAMENTO:

* Grego – grego

O APARECIMENTO DA CULTURA GREGA

OS GREGOS E SUAS ESPECULAÇÕES FILOSÓFICAS SOBRE A MORTE:

 ASPECTOS CARACTERISTICOS DA RESSURREIÇÃO DO CORPO:

* RELAÇÃO:

* REALIDADE:

* INCORRUPÇÃO:

* GLÓRIA:

* AGILIDADE:

* SUTILEZA:

ASPECTOS DE INDICAÇÃO DA DOUTRINA DA RESSURREIÇÃO NA ESCRITURA SAGRADA:

* Ressurreição de mortos:

* Resurreição dos mortos:

* Ressurreição dentre os mortos:

O TÍTULO DE JESUS, COMO O PRIMEIRO E ÚLTIMO:

A RESSURREIÇÃO ENVOLVENDO AS QUESTÕES DA PRIMOGENITURA, PRIMÍCIA E PRIORIDADE DE JESUS, COMO PRIMEIRO A VENCER A MORTE:

PRIMÍCIAS:

CONCEITOS DAS PRIMÍCIAS NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Primícias – hebráico

CONCEITO DAS PRIMÍCIAS NO NOVO TESTAMENTO:

* Primícias – grego

JESUS, (O DEUS ETERNO), O PRIMOGÊNITO, PRIMÍCIA OU PRIMEIRO:

OBSERVAÇÃO: Jesus teve irmãos e irmãs, filhos de seu Pai carnal José e sua mãe Maria

A RESSURREIÇÃO COMO UM SEGREDO DE DEUS:

CONCEITO DE SEGREDO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Segredo – hebráico

CONCEITO DE SEGREDO NO NOVO TESTAMENTO:

* Segredo – grego

CARACTERÍSTICAS DO SEGREDO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

CARACTERÍSTICAS DO SECRETO DE DEUS, COMO SEGREDO DO ETERNO NO ANTIGO E  NOVO TESTAMENTOS:

 

AULA 5 - O ENCOBRIMENTO DA

RESSURREIÇÃO PELAS TREVAS:

 

CONCEITOS DE TREVA E/OU TREVAS NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Treva – hebráico

CONCEITOS DE TREVA E/OU TREVAS NO NOVO TESTAMENTO:

* Treva – grego

OBS: É PRECISO SABER DIFERENCIAR:

CARACTERÍSTICAS DAS TREVAS NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

 RESSURREIÇÃO: GERA DESPERTAMENTO DA FÉ, NO ARREBATAMENTO:

CONCEITO DE DESPERTAMENTO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Desperta – hebráico

CONCEITO DE DESPERTAMENTO NO NOVO TESTAMENTO:

* Desperta – grego

CARACTERÍSTICAS DO DESPERTAMENTO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

 A MANIFESTAÇÃO DE DEUS PREFIGURANDO A RESSURREIÇÃO, COMO MOTIVO DO DESPERTAMENTO DA HUMANIDADE À REALIDADE VINDOURA:

CONCEITOS DE MANIFESTAÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Manifestação – hebráico

CONCEITOS DE MANIFESTAÇÃO NO NOVO TESTAMENTO:

* Manifestação – grego

CARACTERÍSTICAS DA MANIFESTAÇÃO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

A RESSURREIÇÃO DE JESUS TRAZIDA À LUZ, COMO MANIFESTAÇÃO DIVINA:

A LUZ: CONSIDERAÇÕES INICIAIS:

CONCEITOS DE LUZ NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Luz – hebráico

CONCEITOS DE LUZ NO NOVO TESTAMENTO:

* Luz – grego

CARACTERÍSTICAS DA LUZ NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

A RESSURREIÇÃO DE JESUS COMO REVELAÇÃO DE DEUS, DIANTE DA SUA LUZ QUE ESCLARECE E TESTIFICA DA VERDADE:

CONCEITOS DE REVELAÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Revelação – hebráico

CONCEITOS DE REVELAÇÃO NO NOVO TESTAMENTO:

* Revelação – grego

CARACTERÍSTICAS DA REVELAÇÃO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

 

AULA 6 - QUESTÃO HISTÓRICA DA

RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

 

O RESUMO DA HISTÓRIA DE JESUS:

 CRÍTICA AO NOVO TESTAMENTO COMO FONTE HISTÓRICA:

 DISCUSSÕES SOBRE O FATO:

O Que Seria Um Personagem da História?

 ARGUMENTOS ATEUS:

OBSERVAÇÃO:

CRÍTICA A ALGUNS TEÓLOGOS MODERNOS:

FALSAS PREMISSAS SOBRE O SENTIDO DA RESSURREIÇÃO E A POSIÇÃO DO DEUS PAI EM RELAÇÃO A CRISTO NA MORTE DE CRUZ:

IMPLICAÇÕES TEOLÓGICAS DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

 A APARENTE CONTRADIÇÃO DA RESSURREIÇÃO:

 PROVAS HISTORICAS DO SEPULCRO:

 EVIDÊNCIAS DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

OBSERVAÇÃO

CONSIDERAÇÕES SOBRE A EXISTÊNCIA DE JESUS CRISTO:

CRÍTICA Á REALIDADE DA MORTE DE CRISTO:

O SOFRIMENTO DE JESUS:

JESUS DESMAIOU OU MORREU?

 ENTENDENDO MELHOR A QUESTÃO DA CRUZ:

CONCEITO DE CRUZ NO NOVO TESTAMENTO:

* Cruz – grego

CARACTERÍSTICAS DA CRUZ NO NOVO TESTAMENTO:

A CRUZ:

CRUCIFICAÇÃO:

COMO OS GENTIOS CRUCIFICAVAM AS PESSOAS:

COMO OS JUDEUS CRUCIFICAVAM AS PESSOAS:.

A CRUCIFICAÇÃO DE CRISTO:.

JESUS PREDIZ SUA MORTE:

COMO ACONTECEU A CRUCIFICAÇÃO DE CRISTO:

O SIGNIFICADO DA CRUCIFICAÇÃO DE CRISTO:

 

AULA 7 - A QUESTÃO HISTÓRICA DA

RESSURREIÇÃO DE NÃO-CRISTAOS:

 

A COMPROVAÇÃO DA RESSURREIÇÃO NAS DATAS DOS EVANGELHOS:

A IMPORTÂNCIA DO TESTEMUNHO NA HISTÓRIA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS:

CONCEITOS DE TESTEMUNHO/TESTEMUNHA COMO TESTIFICAÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Testemunha - hebráico

CONCEITOS DE TESTEMUNHO/TESTEMUNHA COMO TESTIFICAÇÃO NO NOVO

TESTAMENTO:

* Testemunho – grego

CARACTERÍSTICAS DO TESTEMUNHO NO ANTIGO E NOVO TESTAMENTOS:

O INSTRUMENTO DA FÉ COMO ASSIMILADOR DA HISTÓRIA BÍBLICA:

O CONCEITO BÍBLICO DA PALAVRA “FÉ”:

O CONCEITO BÍBLICO DA PALAVRA “HISTÓRIA” NO ANTIGO TESTAMENTO:

* História - hebráico

O SENTIDO DA HISTÓRIA NOS ORIGINAIS:

O CONCEITO BÍBLICO DA FÉ NA HISTÓRIA BÍBLICA:

* Certeza - Grego

* Coisas que se esperam - Grego

* Convicção Grego

O SENTIDO DO CONCEITO DE FÉ PRESENTE NA HISTÓRIA BÍBLICA:

DIVERGÊNCIAS ENTRE O CONCEITO BÍBLICO DA FÉ E A CIÊNCIA HISTÓRICA:

FATOS NÃO DEMONSTRÁVEIS PELA HISTÓRIA, APESAR DE REAIS:

A FIRMEZA DA IGREJA CONTRA AS HERESIAS:

 A QUESTÃO DO “JESUS” HISTÓRICO:

POR QUE ESTUDAR SOBRE JESUS?

* Os crentes

* Os descrentes

QUAL JESUS?

TIPOS DE JESUS ANTIBÍBLICOS – (Segundo a Doutrina Bíblica):

O JESUS, GAROTO PROPAGANDA DO MARKETING CONSUMISTA

O JESUS HISTÓRICO:

A ACUSAÇÃO DA “MAQUIAGEM” DA IGREJA NA HISTÓRIA DE CRISTO:

OS MOTIVOS DA BUSCA PELO “JESUS HISTÓRICO”:

OS PROBLEMAS NA INCREDULIDADE RACIONAL DOS CRÍTICOS DA FÉ:

OS PROBLEMAS DO “JESUS HISTÓRICO” PARA A IGREJA:

FATOS QUE COMPROVAM A VERACIDADE DOS EVANGELHOS:

 

AULA 8 – DIVERGÊNCIAS ENTRE (EXPERIÊNCIAS,

NARRATIVAS E  APARIÇÕES DE JESUS

NA RESSURREIÇÃO) E A HISTÓRIA:

 

A CRISE DOS HISTORIADORES:

 O GRANDE ENFRENTAMENTO FILOSÓFICO SOBRE A RESSURREIÇÃO NO MESMO CORPO:

 PERGUNTAS IMPORTANTES:

 A RAZÃO PRIMORDIAL DOS QUESTIONAMENTOS:

 QUANTO AO CORPO PÓS-RESSURRETO DE CRISTO:

 O FALSO ESPIRITISMO CRISTÃO:

DIFERENCIANDO REENCARNAÇÃO X RESSURREIÇÃO:

O USO DE TEXTOS BÍBLICOS DETURPADOS POR ALLAN KARDEC:

QUANTO À RESSURREIÇÃO: DO CORPO OU DOS ESPÍRITOS?

QUANTO À APARIÇÃO DE JESUS APÓS SUA RESSURREIÇÃO:

MENTIRAS E CONTRADIÇÕES TEOLÓGICAS DO ESPIRITISMO:

SE O QUE SÓ VALE É O QUE JESUS DISSER:

REFUTAÇÃO AO ESPIRITISMO:

* JESUS EM CORPO GLORIFICADO:

* ONDE ESTÁ O CORPO DE JESUS?

 O QUE ACONTECERIA SE JESUS NÃO TIVESSE RESSUSCITADO NO MESMO CORPO?

PROVAS DA RESSURREIÇÃO NA CARNE:

 QUANTO AO PROPÓSITO DOS EVANGELHOS:

 A CONFISSÃO DA IGREJA QUANTO Á RESSURREIÇÃO:

 

AULA 9 – ESCLARECENDO MELHOR OS FATOS:

 

FALSAS TEORIAS SOBRE A CRUCIFICAÇÃO E MORTE DE JESUS CRISTO:

* A FALSA TEORIA ISLÂMICA DE QUE JESUS NÃO MORREU NA CRUZ:

JESUS CRISTO RETRATADO NA BÍBLIA E O JESUS DO ALCORÃO:

A GRANDE PERGUNTA AOS MUÇULMANOS:

* A FALSA TEORIA DA SUBSTITUIÇÃO DE JESUS:

PERGUNTAS AOS MUÇULMANOS:

* A FALSA TEORIA RACIONAL DA CONSPIRAÇÃO DA PÁSCOA:

SE JESUS NÃO FOSSE O MESSIAS: (Veja o que Ele teria que fazer para se fazer passar pelo Messias e assim, enganar o povo e obter a fama):

 A DESCRIÇÃO DO SOFRIMENTO DE JESUS CRISTO NA CRUZ:

EXISTIRÁ DOR MAIOR DO QUE A QUE ELE SENTIU?

* A AGONIA NO GETSÊMANI:

* A FLAGELAÇÃO DE JESUS PELOS SOLDADOS ROMANOS NO SINÉDRIO:

* A COROAÇÃO COM ESPINHOS:

* Coroa de Espinhos – grego

* O CAMINHO ATÉ O GÓLGOTA:

* O PROCESSO DA CRUCIFICAÇÃO NO CALVÁRIO:

 LOCALIZAÇÃO DO GÓLGOTA:

 ALEGATIVAS DE ATEUS COMO SUPOSIÇÃO DE QUE JESUS NÃO HAVIA MORRIDO NA CRUZ:

PROVAS DE QUE JESUS REALMENTE MORREU NA CRUZ:

EVIDÊNCIAS BÍBLICAS:

EVIDÊNCIAS EXTRA-BÍBLICAS:

A APARENTE CONTRADIÇÃO DO “DEUS MORTO”:

ANALISANDO A QUESTÃO:

ANALISANDO TEXTO BÍBLICO:

FP 2:6-11

SIGNIFICADO TEOLÓGICO DA ENCARNAÇÃO DE JESUS:

 

AULA 10 - COMBATENDO A TEORIA DA MORTE APARENTE:

 

(Combatendo a Teoria da Droga e do Desmaio na Cruz):

O PROBLEMA DA TEORIA DO DESMAIO:

 A IMPOSSIBILIDADE DE JESUS TER SE ANIMADO DE UMA MORTE APARENTE:

 MOTIVOS DA IMPOSSIBILIDADE DE JESUS NÃO TER MORRIDO:

* PELA PREPARAÇÃO DO SEU CORPO:

* A GRANDE PEDRA TAMPANDO A ABERTURA DA SEPULTURA:

* A PRESENÇA DE SOLDADOS VIGIANDO A ENTRADA DA SEPULTURA:

MOTIVOS DA PRESENÇA DOS SOLDADOS:

GUARDA DO TEMPLO OU GUARDA ROMANA?

A GUARDA ROMANA:

O PROBLEMA DE UMA POSSÍVEL FALTA DE VIGILÂNCIA:

* A PRESENÇA DO SELO NA ENTRADA DO TÚMULO:

O MÉTODO PARA SELAR A PEDRA:

 TEORIAS SEM LÓGICA DADAS PELOS ATEUS À REALIDADE DA AUSÊNCIA DO CORPO DE JESUS:

* TEORIA DO CORPO ROUBADO PELOS DISCIPULOS:

SE ROUBARAM O CORPO, POR QUE NENHUM GUARDA FOI MORTO?

COMO TERIA SIDO O CORPO ROUBADO?

* TEORIA DE QUE AS AUTORIDADES JUDÁICAS TERIAM O CORPO:

* TEORIA DO TÚMULO ERRADO:

* TEORIA DO CORPO DEVORADO:

EVENTOS BÍBLICOS REGISTRADOS CONJUNTAMENTE NOS EVANGELHOS:

* O LOCAL DA CRUCIFICAÇÃO DE JESUS:

* FATOS EXTRAORDINÁRIOS APÓS A MORTE DE JESUS:

* O TEMPO:

* A COLOCAÇÃO DE JESUS NO TÚMULO:

* AS MULHERES PRESENTES Á CRUCIFICAÇÃO:

* QUANTO A PILATOS:

PROVAS DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

* O TESTEMUNHO DOS GUARDAS:

* A PEDRA DO SEPULCRO AFASTADA:

* A AÇÃO DOS JUDEUS:

* O SEPULCRO VAZIO: (Mas não estava vazio, pois ficaram os lençóis.)

A IMPORTÂNCIA DO SEPULCRO VAZIO:

* A POSIÇÃO DOS LENÇOIS:

 AS BARREIRAS DA CREDIBILIDADE DA RESSURREIÇÃO NA ATITUDE DOS APÓSTOLOS:

 TRANSFORMAÇÃO NA VIDA DOS DISCÍPULOS:

UMA SUPOSIÇÃO ERRÔNEA SOBRE O APARECIMENTO DE JESUS:

 A CONVERSÃO DE SAULO DE TARSO:

A PROVA DE SUA CONVERSÃO

AS INSTRUÇÕES DE PAULO, O APÓSTOLO:

A IMPORTÂNCIA DA RESSURREIÇÃO PARA A IGREJA CRISTÃ ATUAL:

REFUTAÇÃO AO PROBLEMA DAS APARIÇÕES:

 

AULA 11 - FATOS APÓS O TÚMULO VAZIO:

 

UMA DESCOBERTA VALIOSA:

A TRANSFORMAÇÃO DOS DISCÍPULOS:

O MESSIAS MORTO:

 O COMISSIONAMENTO NAS APARIÇÕES PASCAIS DE JESUS:

 experiências contraditórias

QUANTO À IDENTIFICAÇÃO DE JESUS PELOS DISCÍPULOS:

 QUANTO AO AVIVAMENTO DOS APÓSTOLOS NO DIA DE PENTECOSTES:

 QUANTO À DIFERENÇA ENTRE O JESUS TERRENO E O ESPIRITUAL:

 A RESSURREIÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

QUANTO À IDÉIA DE MORTE:

QUANTO À IDÉIA DE JUÍZO E SEPULTURA:

QUANTO AO ENTENDIMENTO DE ETERNIDADE:

A palavra Eterno no hebráico

ENTENDENDO A RESSURREIÇÃO NO JUDAÍSMO (PERÍODO INTER-BÍBLICO E NA ÉPOCA NEOTESTAMENTÁRIA):

QUANTO À LITERATURA EXISTENTE:

 A FALTA DE UNIFORMIDADE NAS CRENÇAS ESCATOLÓGICAS:

ENTENDENDO A RESSURREIÇÃO E O PAPEL DO MESSIAS:

Messias - de origem hebraica

CRÍTICA TEXTUAL QUANTO AO ANÚNCIO DA MORTE E À REALIDADE DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

 ANÁLISE DE TEXTOS DO ANTIGO TESTAMENTO, QUANTO À RESSURREIÇÃO,

ENVOLVENDO CORPO GLORIFICADO E O FUTURO DA IGREJA:

 O NOVO TESTAMENTO COMO CUMPRIMENTO DA VELHA ALIANÇA:

COMPARANDO A RESSURREIÇÃO, NA VISÃO DOS EVANGELHOS E NAS OUTRAS OBRAS NEOTESTAMENTÁRIAS BÍBLICAS:

ANÁLISE ENTRE A ABORDAGEM DE PAULO E OS ESCRITORES DOS EVANGELHOS:

ESCRITOS DE PAULO & ESCRITOS DE PEDRO:

 A QUESTÃO DO TESTEMUNHO PASCAL (RESSURREIÇÃO) E SUA REFERÊNCIA ORIGINAL

NO ANTIGO TESTAMENTO:

 A VISÃO DOS EVANGELISTAS DO NOVO-TESTAMENTO EM RELAÇÃO À APARIÇÃO DE JESUS, QUANTO AO A.T.

 

AULA 12 - RELACIONANDO A MORTE, RESSURREIÇÃO

 E EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO:

 

A EXALTAÇÃO DE CRISTO:

EXALTAR: (Do latim exaltare)

CONCEITOS DE EXALTAÇÃO NO ANTIGO TESTAMENTO:

* Exaltado – hebráico

CONCEITO DE EXALTAÇÃO NO NOVO TESTAMENTO:

* Exaltado – grego

CARACTERÍSTICAS DA EXALTAÇÃO A CRISTO:

EXALTAÇÃO DAS PESSOAS:

A EXALTAÇÃO DO POVO A DEUS:

A EXALTAÇÃO DE DEUS A SEU POVO:

 A HISTÓRIA CIENTÍFICA NA QUESTÃO DA EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO:

O QUE A HISTÓRIA PÔDE REGISTRAR:

QUANTO À QUESTÃO DAS VISÕES OCULARES E ESPIRITUAIS (NO ESPÍRITO):

A QUESTÃO DE LENDAS E VISÕES TEOFÂNICAS NOS DOIS TESTAMENTOS:

 A COMPARAÇÃO ENTRE AS TEOFANIAS E AS APARIÇÕES DE JESUS NO NOVO TESTAMENTO:

 A DIFERENÇA NOS EVANGELHOS QUANTO À GEOGRAFIA BÍBLICA:

MARCOS & MATEUS:

LUCAS:

JOÃO:

PARTICULARIDADE DE LUCAS:

 A PARTICULARIDADE DAS CARTAS DE PAULO:

 DIFERENÇA ENTRE ASCENSÃO DE JESUS,NARRADA POR LUCAS E A EXPERIÊNCIA DO ENCONTRO DE JESUS COM PAULO:

 A UNÇÃO DO CORPO DE JESUS E SEUS ENVOLTÓRIOS:

 LENÇOIS OU SUDÁRIO? (SEU SIGNIFICADO NA RESSURREIÇÃO, DIFERENTE DA,DE LÁZARO:)

GREGO “SINDON” - o chamado sudário

GREGO “Othonion” - pedaços de linho

A QUESTÃO DO SUDÁRIO (DEFENDIDO PELO ROMANISMO):

O Sudário de Turim

O QUE AFIRMAM OS DEFENSORES DO SUDÁRIO:

A LENDA DO SUDÁRIO:

suposta cronologia sem provas:

A POLÊMICA DO SUDÁRIO:

A IMAGEM RETRATADA NO PANO:

ARGUMENTOS A FAVOR DE UMA “SANTIDADE” NO PANO:

O QUE OS DEFENSORES DO SUDÁRIO ALEGAM:

PROBLEMÁTICA DO SUPOSTO CRISTO NO SUDÁRIO:

O QUE ALEGAM OS OPOSITORES DA SANTIDADE DO SUDÁRIO:

A FRAUDE COMPROVADA:

A SUPOSTA DATAÇÃO DAS TIRAS DE LINHO:

A QUESTÃO DA PRESENÇA DE PÓLEN NO TECIDO:

A SUPOSTA IMAGEM DE CRISTO (TRIDIMENSIONAL):

A SUPOSTA PRESENÇA DO “SANGUE DE JESUS”:

 

AULA 13 - CONCLUINDO SOBRE À

QUESTÃO DA EXALTAÇÃO DE JESUS:

 

OBSERVAÇÃO:

ALGUNS ARGUMENTOS PRÁTICOS SOBRE A ELEVAÇÃO E ASCENSÃO DE JESUS:

 QUANTO AO SENTIDO DAS PALAVRAS “ELEVAR OU ASCENDER” DE JESUS,

RESSUSCITADO:

 A ASCENSÃO CORPÓREA DE JESUS:

RELAÇÃO DE VERSÍCULOS POR ASSUNTOS EM ATOS:

* Ressurreição;

* Ascensão;

* Exaltação.

A INTERPRETAÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO PELOS DISCÍPULOS, CONFRONTANDO COM JUDEUS E ESCRITORES MODERNOS:

SIGNIFICADO DE NOMES EM ALGUNS ACONTECIMENTOS DO ANTIGO TESTAMENTO COMO ENTENDIMENTOS PROFÉTICOS RELATIVOS À RESSURREIÇÃO DE JESUS:

* No terceiro dia,

ENTENDENDO A RESSURREIÇÃO, PELO ENTENDIMENTO DA PROMESSA DADA A ABRAÃO:

• estrelas do céus - hebráico

• areia da praia do mar - hebráico

SIGNIFICADO PARA A IGREJA:

FÉ E OBRAS:

 ENTENDENDO COMO O TERMO “FILHO DO HOMEM” INDICA SACRIFÍCIO DE SANGUE LOGICAMENTE, SALVAÇÃO:

REFERÊNCIAS NO NOVO TESTAMENTO:

* A expressão “Filho do Homem”

O CARÁTER DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO: QUANTO AO FATO DELE ENTENDER SUA MISSÃO E SUA MORTE

OBSERVAÇÃO:

QUANTO AO ENTENDIMENTO DOS DISCÍPULOS SOBRE JESUS SER O FILHO DO HOMEM, DESCRITO NAS ESCRITURAS:

 ANÁLISE DA NATUREZA DOS EVANGELHOS E OS TESTEMUNHOS, FOCALIZANDO NOVOS ASPECTOS DA RESSURREIÇÃO:

ALGUMAS AFIRMAÇÕES BÁSICAS COMUNS AOS EVANGELHOS:

OBSERVAÇÃO

AS PARTICULARIDADES DOS EVANGELHOS SOBRE A RESSURREIÇÃO:

AS DIFERENÇAS APARENTES NOS EVANGELHOS:

MATEUS:

MARCOS:

LUCAS:

JOÃO:

 

AULA 14 - O SEPULCRO VAZIO E ASCENSÃO DE JESUS:

 

Qual o significado do Sepulcro vazio?

AS APARENTES DIVERGÊNCIAS QUANTO À QUANTIDADE DE MULHERES NO SEPULCRO PELOS EVANGELHOS SINÓTICOS:

O TESTEMUNHO DAS MULHERES QUANTO AO SEPULCRO VAZIO, ANJOS E ENCONTRO COM JESUS:

 A QUESTÃO DA QUANTIDADE DE ANJOS NO SEPULCRO:

 CONSIDERAÇÃO DÀ HISTÓRIA:(SEPULCRO X APARIÇÃO DE ANJOS) NA COMUNIDADE PRIMITIVA DO EVANGELHO DE MARCOS:

RESUMO HARMÔNICO DOS FATOS DESDE SEPULCRO VAZIO ÀS APARIÇÕES DE JESUS NOS EVANGELHOS SINÓTICOS:

 QUANTO À CONVERSÃO DE PAULO:

O RELATO DE PAULO x MARCOS SOBRE OS PRIMEIROS ENFOQUES QUANTO À RESSURREIÇÃO DE JESUS:

A QUESTÃO DE TIAGO, IRMÃO DE JESUS:

 A QUESTÃO DA TRANSFORMAÇÃO DO CORPO DEFENDIDA POR PAULO, CONTRA FALSAS TEORIAS:

 DA APARIÇÃO DE JESUS AO PENTECOSTES, NUMA ABORDAGEM CRÍTICA SOBRE A FÉ DA COMUNIDADE PRIMITIVA:

ENTENDENDO ESSA NOVA IDÉIA DO PLANO DE DEUS, NA MENTE DE CRISTO PARA A IGREJA:

JESUS CRISTO E A IMPLICAÇÃO DE SUA RESSURREIÇÃO PARA O FUTURO DA

HUMANIDADE:

 AS IMPLICAÇÕES DA RESSURREIÇÃO DE JESUS PARA A IGREJA,QUANTO AO FUTURO:

 A RESSURREIÇÃO DE JESUS E SUA IMPORTÄNCIA PARA A IGREJA QUANTO AO BATISMO:

 DEFENDENDO A VERDADE DA MORTE DE CRISTO NUMA CRUZ :

DESMASCARANDO A MENTIRA:

(O CASO DOS PREGOS NAS MÃOS):

TIPOS DE CRUZES:

(O CASO DA PLACA COLOCADA ACIMA DE JESUS):

 QUANTO AO MARTÍRIO DOS APÓSTOLOS DO SENHOR, DEFENDENDO SUA

RESSURREIÇÃO:

1) Pedro

2) André:

3) Tiago 1

4) João.

5) Filipe

6) Bartolomeu

7) Tomé

8) Mateus

9) Tiago

10) Judas Tadeu

11) Simão Cananita

12) Judas Iscariotes

13) Paulo:

 

AULA 15 - ARGUMENTOS DEFENSORES DO EVANGELHO

 DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

 

OS CALENDÁRIOS E A CONTAGEM DO TEMPO NA RESSURREIÇÃO DE JESUS:

O CALENDÁRIO JULIANO:

A MUDANÇA DO CALENDÁRIO JULIANO AO CALENDÁRIO GREGORIANO:

O CALENDÁRIO GREGORIANO & O CALENDÁRIO JULIANO:

O CALENDÁRIO GREGORIANO É O NOSSO CALENDÁRIO ATUAL:.

CONTAGEM DO DIA E DA NOITE PELOS ROMANOS E GREGOS:

O CALENDÁRIO JUDÁICO ANUAL COM SUAS FESTIVIDADES E MESES

CORRESPONDENTES NO CALENDÁRIO GREGORIANO:

A CONTAGEM JUDÁICA DOS DIAS:

A SEMANA BÍBLICA:

A SEMANA JUDÁICA:

A CONTAGEM DO PERÍODO ESCURO OU TARDE DA NOITE JUDÁICA:

A CONTAGEM DOS DIAS JUDÁICOS:

A CONTAGEM DO PERÍODO CLARO DO DIA JUDÁICO:

O SÁBADO BÍBLICO:

Shabath (hebraico)

OBSERVAÇÃO:

O SÁBADO E JESUS, O CORDEIRO PASCAL:

ENTENDENDO OS FATOS DESDE A PREGAÇÃO NA SINAGOGA AO DIA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO:

CONFRONTANDO: (Calendário Judaico x Calendário Gregoriano – Atual):

A MISSÃO DE JESUS CRISTO:

O PROBLEMA COM A SEXTA-FEIRA OU 6º. DIA:

ANTES de um sabath.

 DEPOIS de um sábado

ENTENDENDO A DIFERENÇA DO DIA NO CALENDÁRIO JUDÁICO E O DIA NO CALENDÁRIO GREGORIANO, QUE ADOTAMOS NO COTIDIANO:

OBSERVAÇÃO:

A CONTAGEM DESDE A RESSURREIÇÃO À CEIA COM OS APÓSTOLOS:

A SEMANA ANTERIOR À DA CRUCIFICAÇÃO:

* SÁBADO ou 7º.DIA NO CALENDÁRIO JUDÁICO:

EVENTOS

OBSERVAÇÃO DIDÁTICA:

NICIA UMA NOVA SEMANA (A SEMANA DA MORTE DE JESUS):

* 1º.DIA DA SEMANA NO CALENDÁRIO JUDÁICO):

EVENTOS

* 2º.DIA DA SEMANA NO CALENDÁRIO JUDÁICO:

EVENTOS

3º.DIA DA SEMANA NO CALENDÁRIO JUDÁICO

EVENTOS

* 4º.DIA DA SEMANA NO CALENDÁRIO JUDÁICO:

O DIA DA CRUCIFICAÇÃO E MORTE DE JESUS: (HÁ FATOS ADICIONAIS:)

EVENTOS:

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

O SEPULTAMENTO DE JESUS E A QUEBRA DO SÁBADO:

DIA 15 – Era o DIA DO “SÁBADO CERIMONIAL”:

O TEMPO DE COLOCAÇÃO DOS ENVOLTÓRIOS:

MOTIVO TEOLÓGICO:

* 5º.DIA NO CALENDÁRIO JUDÁICO:

EVENTOS:

* 6º.DIA NO CALENDÁRIO JUDÁICO:

EVENTOS

* 7º.DIA NO CALENDÁRIO JUDÁICO

EVENTOS

NICIA UMA NOVA SEMANA (A SEMANA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS):

* 1º.DIA NO CALENDÁRIO JUDÁICO: (Dia 18 – No Calendário Gregoriano)

3º. Dia da Festa dos Pães Ázimos (Lv.23:6).

EVENTOS

OBSERVAÇÃO:

A CONTAGEM DO TEMPO DE JESUS NA SEPULTURA E SUA RESSURREIÇÃO:

CONTAGEM DOS DIAS:

A DIFERENÇA DE FATOS ENTRE OS CALENDÁRIOS DOS APÓSTOLOS, DOS SADUCEUS E O CALENDÁRIO GREGORIANO:

QUANTO À IMOLAÇÃO DO CORDEIRO:

QUANTO AO PRIMEIRO DIA DA FESTA DOS ÁZIMOS:

 

AULA 16 - O JULGAMENTO DE JESUS CRISTO:

 

ASPECTOS JURÍDICOS:

UMA ABORDAGEM JURÍDICA:

EXAMINANDO A LEI JUDÁICA:

AS EVIDÊNCIAS CIRCUNSTANCIAIS E AS TESTEMUNHAS JUDÁICAS:

O SINÉDRIO:

SOBRE OS JULGAMENTOS:

SOBRE A PRISÃO E JULGAMENTO DE JESUS:

A AÇÃO DAS DUAS FALSAS TESTEMUNHAS:

O ERRÔNEO PAPEL DO SUMO-SACERDOTE NO JULGAMENTO DE JESUS:

A CRUCIFICAÇÃO COMO MEIO NÃO JUDÁICO DE PENA CAPITAL:

A AÇÃO ERRÔNEA DO SISTEMA DE LEIS ROMANO NO JULGAMENTO DE JESUS CRISTO E A AÇÃO DE PILATOS:

A CONSPIRAÇÃO DOS SACERDOTES EM INCITAREM PILATOS PARA INCRIMINAR A JESUS:

A PRIMEIRA MUDANÇA DE ACUSAÇÃO PELOS SACERDOTES: DE BLASFÊMIA A ISRAEL PARA TRAIÇÃO A ROMA:

A SEGUNDA MUDANÇA DE ACUSAÇÃO PELOS SACERDOTES: DE TRAIÇÃO PARA SEDIÇÃO:

OS HERODES:

A DINASTIA HERODIANA

O INJUSTO CASTIGO DE JESUS CRISTO:

A VERDADEIRA ACUSAÇÃO:

PILATOS AMEAÇADO PELOS SACERDOTES:

O JULGAMENTO DOS DOIS JESUS:

 Barrabás

RESUMO DO JULGAMENTO OCORRIDO:

 CRONOLOGIA DA CEIA ÀS APARIÇÕES PÓS-RESSURREIÇÃO:

DE ALGUM PONTO AO CENÁCULO (DA CEIA):

DO CENÁCULO AO MONTE DAS OLIVEIRAS:

DO MONTE DAS OLIVEIRAS AO JARDIM GETSEMANI:

DO GETSÊMANI À CASA DE ANÁS:

DA CASA DE ANÁS AO PALÁCIO DE CAIFÁS:

 

AULA 17 - CRONOLOGIA DA CEIA ÀS APARIÇÕES

PÓS-RESSURREIÇÃO: (2ª Parte)

 

DO PALÁCIO DE CAIFÁS À SALA DE AUDIÊNCIA, DE PILATOS:

DA SALA DE AUDIÊNCIA DE PILATOS AO PALÁCIO DE HERODES:

DO PALÁCIO DE HERODES À SALA DE AUDIÊNCIA, DE PILATOS:

DA SALA DE AUDIÊNCIA, DE PILATOS, AO MADEIRO:

DO MADEIRO AO SEPULCRO:

DO SEPULCRO AO SEIO DA TERRA:

DO SEIO DA TERRA AO JARDIM DA RESSURREIÇÃO:

DO JARDIM DA RESSURREIÇÃO AO PAI:

CONCLUSÃO:

DO PAI A PRÓXIMO A JERUSALÉM:

DE PRÓXIMO DE JERUSALÉM À ESTRADA PARA EMAÚS:

DA ESTRADA, AINDA PRÓXIMA A JERUSALÉM, ATÉ A REFEIÇÃO NA CASA EM EMAÚS:

DE EMAÚS A PEDRO, EM ALGUM PONTO DE JERUSALÉM:

DE PEDRO AO CENÁCULO NO 1º DOMINGO APÓS A RESSURREIÇÃO:

DO CENÁCULO AO CENÁCULO 1º A 2º DOMINGOS APÓS A RESSURREIÇÃO:

DO CENÁCULO AO MAR DE TIBERÍADES:

DO MAR DE TIBERÍADES AO MONTE DA GALILÉIA (A GRANDE COMISSÃO – 1ª. VEZ):

DO MONTE TABOR AO CENÁCULO (GRANDE COMISSÃO – 2ª. VEZ):

DO CENÁCULO AO MONTE DAS OLIVEIRAS AO CÉU:

DO MONTE DAS OLIVEIRAS AO CÉU (À DIREITA DE DEUS):

APARIÇÕES DE CRISTO APÓS A ASCENSÃO:

TIPOS DE RESSURREIÇÕES:

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

 QUANTO À PRIMEIRA RESSURREIÇÃO:

 QUANTO À SEGUNDA RESSURREIÇÃO:

 JUÍZOS DIVINOS ÈNVOLVENDO A RESSURREIÇÃO:

3 ETAPAS:

 QUANTO AOS TIPOS DE JULGAMENTOS DIVINOS:

O JULGAMENTO DE NOSSAS OBRAS:

OBSERVAÇÃO:

 

Deus nos abençoe,

 

EQUIPE DSF

Aos internautas do site DSF:

PRECISANDO DE ATENDIMENTO DE ANÁLISE CLÍNICA?
Psicoterapia para a Família e membros de Igrejas, em crise!
Orientação para adolescentes, adultos, casais, pastores e lideranças ministeriais!

Dr. Darlan de Almeida Lima
CPNC 2515-50/174
Psicanalista Clínico, especialista em Psicologia Pastoral, Pastor, Teólogo e Cientista Religioso

http://lattes.cnpq.br/4241287452208410

Edifício Medical Gênesis
Rua Antônio Augusto, 1271 - Meireles
2. Andar - Sala 205
Cep. 60.110-370 - Fortaleza/Ceará
darlan.psicanalise@gmail.com
(85) 8672-5790 / 9969-8761
Atendimento aos sábados, mediante agendamento de consulta, das
07:00 às 19:00 horas. Valor da consulta R$ 100,00